No âmago de mim há um anseio que por cada instante sussurra tenro desespero sobre o que não sei, sobre o inconcebível, o incerto, o vago. Um nada que me perfura os tímpanos, toca minh’alma, destrói as grades da cela do Ser e ascende-me à prisão prismática do paradoxo do haver. Sob quaisquer circunstâncias, sinto o abismo debaixo dos pés.
— Oanna Selten - Absoluto Ser
Oanna SeltenComentário